Secondary Logo

Journal Logo

Translated Abstracts

Portuguese Abstract Translations

Author Information
doi: 10.1097/ID.0000000000000829
  • Free

O efeito da estabilidade primária e da espessura dos tecidos mole e duro sobre a perda de osso marginal: um estudo-piloto em perspectiva

AUTOR(ES): Johnny Nohra Cirurgião-Dentista, Mestre em Odontologia, Maroun Dagher Cirurigão-Dentista, Mestre em Odontologia, Ghassan Matni, Cirurgião-Dentista, Nadim Mokbel Cirurgião-Dentista, Mestre em Ciência, PhD, Elie Jobaili Cirurgiã-Dentista, Nada Naaman DDS, Mestre em Ciência, PhD

RESUMO: Objetivo: Comparar em termos de perspectiva o efeito de diferentes torques de inserção sobre a estabilidade do osso marginal e estudar o efeito da espessura dos tecidos mole e duro como fatores cofundadores enquanto se usa uma avaliação radiográfica tridimensional. Materiais e Métodos: Trinta e nove implantes foram colocados em 22 pacientes. Torque de inserção (IT), espessura do tecido mole e espessura do osso bucal foram registrados na colocação do implante. A perda de osso marginal foi avaliada em radiografias periapicais individualizadas e por tomografia computadorizada de feixe cônico (CBCT) 1 ano após o carregamento. Resultados: Três grupos de implantes emergiram com base em seu torque de inserção: Grupo I (<30Ncm), Grupo II (entre 30-45Ncm), e Grupo III (>45Ncm). A espessura do tecido mole foi ≤2mm em 10 implantes (25,6% Biotipo fino) e mais de 2 mm em 29 implantes (74,4% Biotipo grosso). Nenhuma diferença significativa na perda do osso marginal foi encontrada para IT diferente e diferente espessura do tecido mole. Uma correlação significativa foi encontrada entre a espessura do osso bucal inicial (≥2mm ou <2mm) e perda de osso marginal após 1 ano. Conclusões: O torque de inserção e a espessura do tecido mucosal não influenciaram a perda de osso marginal. A espessura do osso bucal de ≥2mm foi associada a uma remodelagem mínima do osso marginal.

PALAVRAS-CHAVE: Estabilidade do implante, torque de alta inserção, espessura do tecido mole, nível do osso de peri-implante

Efeito da altura do suporte de CAD/CAM e do tipo de cimento sobre a retenção de coroas de zircônia

AUTOR(ES): Camila EP Silva, Cirurgiã-Dentista, Simone Soares, Cirurgiã-Dentista, Mestre em Ciência, PhD, Camila M Machado, Cirurgiã-Dentista, Mestre em Ciência, Edmara TP Bérgamo, Cirurgiã-Dentista, Mestre em Ciência, Paulo G Coelho, Cirurgião-Dentista, Mestre em Ciência, PhD, Lukasz Witek, Mestre em Ciência, PhD, Ilana S Ramalho, Cirurgiã-Dentista, Mestre em Ciência, Ernesto BB Jalkh, Cirurgião-Dentista, Mestre em Ciência, Estevam A Bonfante, Cirurgião-Dentista, Mestre em Ciência, PhD

RESUMO: Objetivo: Avaliar a altura do suporte de base Ti e o tipo de cimento sobre a capacidade de retenção de restaurações baseadas em zircônia. Material e Métodos: Suportes com altura de 4 mm- (Alto) e 2,5 mm (Baixo) ao longo de cimento de resina temporário (Provisório), de ionômero de vidro (Meron), autoadesiva (U200) e convencional (Definitivo) foram avaliados usando-se testes de arrancamento (n=10 coroas/grupo). Resultados: Suportes altos e baixos demonstraram retenção semelhante para todas as comparações dentro do cimento, exceto U200 (p=0,032). Cimentos de resina exibiram capacidade de retenção superior à dos outros (p<0,01). Embora não tenha havido diferença significativa entre cimentos de resina para suportes curtos, o Definitivo evidenciou retenção mais alta que U200 para suportes altos (p=0,043). Conclusões: Embora a altura do suporte de base Ti não tenha influenciado a capacidade de retenção da superestrutura de zircônia, cimentos baseados em resina evidenciaram significativamente retenção mais alta que ionômero de vidro e cimentos temporários.

PALAVRAS-CHAVE: projeto do suporte, cimentos dentários, zircônia, implantes dentários, teste de arrancamento

Osso formado após aumento do assoalho da cavidade maxilar por autoenxertamento de osso com hidroxiapatita e terapia a laser de baixo nível: um ensaio controlado randomizado com análises histomorfométricas e imuno-histoquímicas

AUTOR(ES): Leticia Helena Theodoro, Cirurgiã-Dentista, Mestre em Ciência, PhD, Gustavo Spina Rocha, Cirurgião-Dentista, Mestre em Ciência, Valmir Lucas Ribeiro Junior, Cirurgião-Dentista, Mestre em Ciência, Celso Eduardo Sakakura, Cirurgião-Dentista, Mestre em Ciência, PhD, João Martins de Mello Neto, Cirurgião-Dentista, Valdir Gouveia Garcia, Cirurgião-Dentista, Mestre em Ciência, PhD, Edilson Ervolino, Cirurgião-Dentista, Mestre em Ciência, PhD, Elcio Marcantonio Junior, Cirurgião-Dentista, Mestre em Ciência, PhD

RESUMO: Objetivo: O objetivo deste estudo era avaliar o osso formado após aumento do assoalho da cavidade maxilar (MSFA) por autoenxertamento de osso combinado com hidroxiapatita que havia sido tratada com terapia a laser de baixo nível (LLLT) ou não. Materiais e Métodos: Doze biópsias foram obtidas de pacientes 6 meses após MSFA usando-se uma combinação de 50% de osso autógeno e 50% de hidroxiapatita (grupo AB/HA, n=6) seguida por LLLT (grupo AB/HA-LLLT, n=6). O laser usado neste estudo foi GaAlAs com comprimento de onda de 830 nm (40 mW; 5,32 J/ponto; 0,57 W/cm2). Amostras obtidas foram sujeitas a análise histológica, histométrica e imuno-histoquímica para detecção de TRAP e RUNX-2. Os dados foram submetidos a análise estatística (Shapiro-Wilk e teste t de Student; α=5%). Resultados: A análise estatística não revelou diferença estatística na presença de osso vital e análise imuno-histoquímica entre os grupos. Não houve redução na medula óssea ou tecido fibroso no grupo AB/HA e grupo AB/HA-LLLT. Houve diminuição na quantidade de biomaterial remanescente entre os grupos (p=0,0081). Conclusão: A terapia a laser de baixo nível não aumentou a formação de osso novo; em vez disso, ela acelerou o processo de remodelagem do osso.

PALAVRAS-CHAVE: Materiais Biocompatíveis; Terapia de Fotobiomodulação; Osseointegração

A associação entre a espessura da mucosa bucal e a perda de osso de peri-implante e perda de attachment: um estudo transversal

AUTOR(ES): James Mailoa, Cirurgião-Dentista, Michelle Arnett, Higienista Dentária Registrada, Bacharel em Ciência, Mestre em Ciência, Hsun-Liang Chan, Cirurgião-Dentista, Mestre em Ciência, Furat M. George, Bacharel em Cirurgia Dentária, Mestre em Ciência, Darnell Kaigler, Cirurgião-Dentista, Mestre em Ciência, PhD, e Hom-Lay Wang, Cirurgiã-Dentista, Mestre em Odontologia, PhD

RESUMO: Objetivo: O objetivo deste estudo era avaliar se há uma associação entre a espessura da mucosa bucal e a perda de attachment de peri-implante após um ano de funcionamento. Materiais e Métodos: Um total de 28 pacientes (14 implantes de peri-implantite e 14 implantes saudáveis) foi incluído. A espessura mucosal bucal foi avaliada usando-se arquivos K a 3 mm apicais da margem do tecido mole do implante. Profundidade da sondagem (PD), recessão (REC), nível de attachment clínico (CAL), sangramento na sondagem (BOP) e perda de osso radiográfico em locais mesiais e distais do implante foram registrados. Resultados: Os dados mostraram que havia diferença estatisticamente significativa na REC médio-facial entre o grupo de mucosa bucal fina e grossa. Contudo, o CAL não foi diferente de modo estatisticamente significativo entre ambos os grupos. Além disso, não houve diferença estatisticamente significativa na perda mesial e distal entre implantes com espessura da mucosa fina e grossa. Conclusão: Quando a espessura do tecido mole médio-facial era fina, a recessão médio-facial era maior e o nível de attachment clínico também tendia a ser mais alto. Não houve associação entre a espessura da mucosa bucal e a perda de osso de peri-implante em locais mesiais e distais do implante após 1 ano de funcionamento.

PALAVRAS-CHAVE: perda de osso alveolar, implantes dentários, tecidos, fenótipo

Efeitos do diâmetro do buraco de acesso ao parafuso sobre os comportamentos biomecânicos de 4 tipos de sistemas prostodônticos de implante retido por cimento e seus ossos corticais circundantes: uma análise de elementos finitos em 3D

AUTOR(ES): Liangzhi Du, Médico, Zhe Li, Bacharel em Ciência, Xiaofeng Chang, PhD, Omar Rahhal, Bacharel em Ciência, Bowen Qin, Médico, Mestre em Ciência, Xi Wen, PhD, Mestre em Ciência, Dangxia Zhou, PhD, Mestre em Ciência

RESUMO: Objetivo: Este estudo visava investigar o(s) efeito(s) do buraco de acesso ao parafuso (SAH) em diferentes diâmetros sobre os sistemas prostodônticos de implante retido por cimento e ossos corticais circundantes. Materiais e Métodos: Vinte modelos de elementos finitos foram divididos em quatro grupos: dois tipos de coroas de contorno pleno (FC) (Y-TZP, liga de ouro) e dois tipos de coroas de porcelana fundida a metal (PFM) (baseados em liga de Co-Cr, Au-Pd). Para cada grupo, cinco coroas foram simuladas variando o diâmetro de SAH (0, 1, 2, 3 e 4 mm). Uma carga vertical de 200N e uma carga oblíqua de 100N (45°s) foram aplicadas. Todos os modelos foram analisados com software de análise de elementos finitos. Resultados: A tensão na superfície oclusiva das coroas estava quase inalterada quando o SAH estava dentro de 0-3 mm, ao passo que demonstrou um aumento evidente ao alcançar 4 mm. A concentração de tensão também foi repentinamente alterada da área de carregamento para a margem do buraco sob carregamento vertical. Quanto ao parafuso, um nível mais baixo de tensão foi observado no carregamento vertical quando uma coroa FC com um SAH em 0-1 mm foi aplicada. A concentração de tensão estava constantemente localizada no início da primeira rosca. Tensões de outros componentes permaneceram quase inalteradas. Conclusões: Quanto ao aspecto da biomecânica, uma coroa de contorno pleno com um buraco de acesso de 1 mm é recomendada quando uma coroa retida combinadamente por cimento e parafuso for usada na região posterior.

PALAVRAS-CHAVE: Coroa cimentada suportada por implante, diâmetro do buraco de acesso, tensão equivalente máxima, concentração de tensão

Avaliação dos resultados de implantes dentários inseridos por procedimento com e sem retalho: uma meta-análise

AUTOR(ES): Jiabao Zhuang, Bacharel em Cirurgia Dentária, Dan Zhao, Cirurgião-Dentista, PhD, Yaqin Wu, Mestre em Cirurgia Dentária, Chun Xu, Cirurgião-Dentista, PhD

RESUMO: Objetivo: O objetivo desta meta-análise era avaliar o risco de fracasso e a perda de osso marginal de implantes dentários inseridos por procedimento com e sem retalho. Materiais e Métodos: Os estudos foram identificados pesquisando-se por PubMed, Web of Knowledge e a Cochrane Library dentro de 10 anos, junto a uma pesquisa manual das listas de referência dos artigos recuperados. Resultados: Um total de 2717 artigos foi filtrado em seguida à estratégia de pesquisa, e 31 estudos foram finalmente selecionados. A taxa de fracasso de implantes dentários foi estatisticamente afetada por diferentes procedimentos de inserção (sem retalho ou com retalho) com uma razão de risco de 1,70 (95% de intervalo de confiança: 1,13, 2,55; P = 0,01; heterogeneidade: I2 = 0,0% Pheterogeneidade = 0,97). A análise de subgrupos indicou que, na situação de carregamento imediato/precoce, o procedimento sem retalho mostrou um risco mais alto de fracasso do implante em comparação com o procedimento com retalho (razão de risco = 2,24; 95% de intervalo de confiança: 1,05, 4,78; P = 0,04; heterogeneidade: I2 = 0,0% Pheterogeneidade = 0,91). A diferença média da perda de osso marginal entre o grupo sem retalho e o grupo com retalho foi de -0,10mm (95% de intervalo de confiança: -0,18, -0,02; P = 0,02; heterogeneidade: I2 = 82% Pheterogeneidade = 0,00). Conclusões: Esta meta-análise revelou que o procedimento sem retalho pode aumentar o risco de fracasso dos implantes dentários, especialmente na situação de carregamento imediato/precoce. Entretanto, o procedimento sem retalho mostrou uma superioridade na preservação dos tecidos do osso.

PALAVRAS-CHAVE: taxa de fracasso, perda de osso marginal, carregamento imediato/precoce

Implantação de monócitos no local em enxertamento de osso para reconstrução da atrofia maxilar: uma prova observacional preliminar de estudo do conceito

AUTOR(ES): Vito Del Deo, Médico, Antonio Fico, Cirurgião-Dentista, Corrado Marini, Médico, Salvatore Senese, Médico, Giulio Gasparini, Médico

RESUMO: Objetivo: O objetivo principal deste artigo, envolvendo 11 pacientes, é compartilhar nossa experiência numa modalidade de tratamento integrado, a saber, o uso de terapia celular simultaneamente à reconstrução cirúrgica. Trabalhos publicados mostram que a implantação de monócitos em tecido isquêmico realça a cura, proporcionando neoangiogênese, um mecanismo-chave em processos regenerativos de tecidos. Materiais & Métodos: Nossa abordagem incluiu a utilização de monócitos autólogos e células precursoras endoteliais no próprio enxerto do osso para melhorar a taxa de sucesso da integração do enxerto de osso e sua viabilidade/sobrevivência de longo prazo, promovendo angiogênese. Comparamos os procedimentos regenerativos padrão, a saber, enxertamento de elevação da cavidade realizado com enxerto de osso com partículas xenogênicas e posterior enxertamento da mandíbula realizado com enxerto de bloco de osso cortical/medular autólogo colhido da crista ilíaca com e sem o uso de implementação celular. Avaliamos os resultados tanto radiológica quanto histologicamente. Resultados: O enxerto de bloco de osso cortical/medular autólogo teve uma resposta diferente da implementação com os monócitos, mostrando uma integração óssea melhor do que o esperado, contrariamente ao enxerto de osso com partículas xenogênicas. Conclusões: Monócitos parecem melhorar o enxerto de bloco de osso autólogo de acordo com o conceito de “Angiogênese Terapêutica”. A implementação com monócitos nem sempre melhora o enxerto de osso com partículas xenogênicas.

PALAVRAS-CHAVE: enxertos de osso, regeneração do osso, monócitos, sangue periférico de filtração da gravidade, células progenitoras

A Técnica da Membrana da Raiz: um Estudo Clínico Retrospectivo com até 10 Anos de Acompanhamento

AUTOR(ES): Konstantinos D. Siormpas, Cirurgião-Dentista, Miltiadis E. Mitsias, Cirurgião-Dentista, Mestre em Ciência, PhD, Georgios A. Kotsakis, Cirurigão-Dentista, Mestre em Ciência, Isaac Tawil, Cirurgião-Dentista, Mestre em Ciência, Michael A. Pikos, Cirurgião-Dentista, Francesco G. Mangano, Cirurgião-Dentista, PhD

RESUMO: Objetivo: A colocação imediata de implante em conjunto com retenção intencional da raiz é uma técnica introduzida recentemente, mas a maior parte da documentação existente é limitada a relatos de curto prazo, com baixo nível de evidência. Daí que o objetivo deste estudo era documentar os resultados clínicos e radiográficos de longo prazo da técnica da membrana da raiz. Métodos: Este estudo retrospectivo relata os resultados clínicos da técnica da Membrana da Raiz para colocação imediata de implante mediada por PDL, com até 10 anos de acompanhamento, de três clínicas dentárias privadas. Implantes anteriores colocados com carregamento imediato de janeiro de 2006 a dezembro de 2016 foram avaliados. Estimadores de Kaplan-Meier foram computados para relatos de sucesso e sobrevivência dos implantes. Resultados: Uma amostra de 182 pacientes (82 masculinos e 100 femininos, faixa etária: 18 a 83 anos) recebeu 250 implantes imediatos (230 maxila, 20 mandíbula) em seguida ao conceito de membrana da raiz e tempo de acompanhamento para uma média de 49,94 meses (± 32,5). No total, 5 fracassos de implante foram registrados para uma taxa de sobrevivência de implante cumulativa de 10 anos ao nível do paciente de 96,5%. Considerando-se complicações mecânicas e biológicas, a taxa de sucesso do implante cumulativa de 10 anos foi 87,9%. Conclusões: Dentro dos limites do projeto retrospectivo, a técnica da membrana da raiz demonstrou taxas de sucesso de longo prazo comparáveis àquelas de implantes imediatos convencionais.

PALAVRAS-CHAVE: Implantes imediatos; reabsorção de osso; preservação de osso; sobrevivência; sucesso

Terapia de Implante Dentário num Paciente com Doença de von Willebrand: um Estudo de Caso

AUTOR(ES): Michael Kang, Cirurgião-Dentista, Philip Kang, Cirurgião-Dentista

RESUMO: Antecedentes: A doença de Von Willebrand é o distúrbio hereditário mais comum que afeta a coagulação. Pacientes com esse distúrbio têm um risco mais alto de complicações pós-operatórias em seguida à cirurgia dentária. Este artigo discute o tratamento bem-sucedido para um paciente com doença de von Willebrand que se submete à terapia de implante. Descrição de Caso: Um paciente jovem, de 21 anos, com doença de von Willebrand, perdeu o dente #30 devido a cárie e foi necessário realizar uma terapia de implante. Através de colaboração com um hematologista que administrou desmopressina profilática (DDAVP), a cirurgia de implante foi realizada sem nenhuma complicação pós-operatória. O implante se integrou com sucesso e foi restaurado ao funcionamento. O resultado bem-sucedido satisfez as expectativas após cuidadoso planejamento e execução. Implicações Práticas: A colaboração com os prestadores médicos apropriados, bem como modificações do tratamento para procedimentos cirúrgicos durante a terapia de implante, Para o tratamento bem-sucedido de um paciente com distúrbio de von Willebrand, é necessária a colaboração com os prestadores médicos adequados, bem como modificações do tratamento para procedimentos cirúrgicos durante a terapia.

PALAVRAS-CHAVE: anticoagulantes, hemóstase, cirurgia oral, cirurgia periodontal

Reconstrução do Osso alveolar usando aumento do Osso com folha de Malha de Titânio de Derretimento Seletivo a Laser: um Relato de Dois Casos

AUTOR(ES): Kazuya Inoue, Cirurgião-Dentista, PhD, Yoichiro Nakajima, Cirurgião-Dentista, PhD, Michi Omori, Cirurgião-Dentista, Yoshifumi Suwa, Cirurgião-Dentista, PhD, Nahoko Kato-Kogoe, Cirurgiã-Dentista, PhD, Kayoko Yamamoto, Cirurgiã-Dentista, Hisashi Kitagaki, PhD, Shigeo Mori, PhD, Hiroyuki Nakano, Cirurgião-Dentista, PhD, Takaaki Ueno, Cirurgião-Dentista, PhD

RESUMO: O aumento do osso é usado para suplementar defeitos ósseos durante o tratamento de implante dentário. Nessa técnica, a área preenchida com material protético de osso é recoberta com um dispositivo artificial que abre espaço ou folha de malha de titânio, que deve ser manualmente adaptado ao defeito ósseo durante o procedimento antes de ser fixado no lugar. O método de derretimento seletivo a laser pode ser usado para pré-adaptar a folha de malha de titânio com base em dados de tomografia computadorizada pré-operatória. Esse método possibilita tempos de cirurgia mais curtos com métodos de folha de malha de titânio convencionais, bem como a regeneração de uma forma ideal do osso alveolar. Aqui, apresentamos dois casos de aumento do osso usando o método da folha de malha de titânio seletivo a laser. O período pós-operatório foi sem complicações em ambos os casos; nenhum paciente experimentou exposição à malha ou infecção durante a cura. O método da folha de malha de titânio seletivo a laser deveria ser considerado um método novo e eficaz de aumento do osso.

PALAVRAS-CHAVE: aumento do osso, defeito do osso, implante dentário

Copyright © 2018 Wolters Kluwer Health, Inc. All rights reserved.